LIGHTING HIGH DEFINIFTION
 
MOVING LIGHTS
 

..."Em 1981, a Vari*Lite começou a comercializar um projector que se movia na horizontal e vertical, mudava as cores e os gobos. Chamavam-se VL1, mas surgiram muitos e variados nomes para estes novos projectores, conforme o seu fabricante. Inevitavelmente, surgiram de vários cantos do mundo. Essencialmente, eram profiles com a facilidade de moverem o feixe de luz, de mudarem as cores e os gobos."...

..."Foi novamente a Vari-Lite a revolucionar o mercado, com o aparecimento de washlights robotizadas. Em 1993 apareceu o VL5, controlado por DMX e lâmpada tungsténio de 1000w. No Outono de 96 foi a High End Systems a surgir no mercado com o Studio Color, este com lâmpada de descarga de 575W MSR. A grande inovação é poder rodar a lâmpada tornando o seu efeito elíptico capaz de girar sobre si mesmo, surgindo assim novas possibilidades. Devido ao balastro, o Studio Color pesa 31kg, em vez dos 11,5kg do VL5, o que torna a sua montagem mais difícil. O Mac600, da Martin, também com lâmpada 575W MSR e lente fresnel, consegue, contudo, produzir uma luz mais brilhante que os anteriores."...

..."A escolha de gobos apropriados ao efeito que se quer é outro ponto fundamental: nunca se deve alugar equipamentos com os gobos standard, senão corremos o risco de criar efeitos já muito vistos e pouco apelativos ao telespectador. O simples facto de usar gobos diferentes dos normalmente mais vistos é só por si um trunfo no resultado. O espaço reduzido em alguns cenários torna os de menor dimensão favoritos, algumas vezes com resultados fantásticos, pois estão no sítio certo."...

 

 
Copyright (c) 2004 Made by Rodrigo Nogueira